Foto: Reprodução 

A matéria inicia com imagem ilustrativa da batalha com índios e soldados

A disputa por terras que entrou para a história

A disputa por terras e domínio no estado, ficou marcada pela derrota avassaladora dos franceses.
Na manhã do dia 19 de Novembro de 1614, no sítio de Guaxenduba, atual povoado de Santa Maria localizado no município de Icatu, acontecia uma importante batalha entre franceses e portugueses que se enfrentavam, em busca da posse do Maranhão. A derrota aconteceu na praia de Santa Maria e ficou marcado pelo massacre dos franceses, que fatalmente teve parte de suas forças dessaladas.

A luta ficou registrada, como um dos grandes conflitos territoriais do na história do Estado. De um lado as forças portuguesas, comandada por Jerônimo de Albuquerque, que entre soldados e índios flecheiros totalizavam mais de 400 homens. Já o exército francês continha mais de 2 mil índios além de 200 combatentes e era liderado por Daniel de La Touche, o senhor La Ravardiere. Embora em superioridade numérica, os franceses acabaram sendo derrotados.

Grande parte da força das suas forças, principalmente as que desembarcaram nas praias do sítio de Guaxenduba, não eram formados por soldados profissionais e sim se tratavam de simples colonos trabalhadores como carpinteiros e ferreiros e outros simples colonos trabalhadores. De acordo com o historiador Euges Lima, a forma peculiar utilizada durante a batalha junto aos erros estratégicos e autoconfiança, acabaram sendo cruciais para a derrota da tropa francesa. Além do estilo único de guerrilhar dos portugueses, que mesclaram entre o estilo europeu de batalhar com o modo de ataque dos índios flecheiros, ao contrário de seus inimigos, que com índios Tupinambás, utilizavam apenas o estilo de combate Europeu.

Paulo Matos, reafirma a importância do acontecimento “ao meu ver, Guaxenduba foi o evento mais importante do século XVIII no Norte do Brasil, foi a partir da batalha que essa região foi unificada. As mesmas figuras que combateram tiveram um papel de destaque nesse processo”, afirmou.

Segundo ele, Pedro Teixeira que foi alferes na batalha, desbravou a Amazônia e chegou até o Quito. Já Antônio Teixeira de Melo que era um soldado raso na batalha, se tornou  capitão-mor, (cargo que equivale ao poder de um governador) esse teria a glória de expulsar os holandeses do Maranhão. Portanto, o norte  do Brasil se transforma em dois, o Brasil do Sul e o do Norte. Dada a importância da batalha de Guaxenduba, sendo marcante e representando assim um fato de grande relevância do século.

Para ir para a próxima matéria, deslize até o fim da página e clique no meio da sua tela. Em seguida clique no canto superior direito e ouça!

pracegover

Contributor